segunda-feira, 15 de junho de 2009

Nossa é difícil mesmo

Antes eu xingava os ex-drogados que paravam de se drogar e iam fazer palestras, achava completamente hipócrita, hoje não penso mais assim, porque é muito fácil começar, mas parar exige muita força de vontade.

Realmente é um processo muito árduo pelo visto, passou Sábado, o dia seguinte do meu primeiro distúrbio oficial e fiquei até bem. O máximo que tive foram tonturas (mais), taquicardia e dor de estômago, mas desde que comecei de parar de tomar o remédio meu estômago tem doído muito, isso quando não fico com dor de barriga que é quase todo dia.

Mas antes disso, queria contar um pouquinho mais de como embarquei nessa história. Eu lembro que na minha primeira visita ao psiquiatra ele me pergunto: Você já usou drogas, eu respondi que não, então ele disse: "AGORA VOCÊ VAI COMEÇAR A TOMAR SÓ QUE COM DIFERENÇA DE QUE ESSAS SÃO LÍCITAS." Não me impressionei nem um pouco com essa frase, só estava ansiosíssima para ser uma nova pessoa. Demorou alguns bons dias para que eu começasse a sentir os benefícios do remédio. Mas com o passar dos meses fui me sentindo cada vez mais segura e muito mais leve, sem falar que emagreci bem uns dez quilos, porque parei de comer doces como uma louca (segundo meu psiquiatra eu tentava saciar minhas dificuldades através de alimentos gordurosos, isso me rendeu uma bela celulite e quem disse que eu não viciada, afinal 100 gramas de chocolate por dia não é pra qualquer um), enfim estava muiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiito feliz.

Tive alguns poréns, que não eram bem meus, alguns de meus amigos começaram a me achar estranha e muito chata, mas relevei isso e peneirei alguns porque eu estava feliz e se o fato de estar feliz incomodava não queria, porque eles realmente não estavam preocupados de eu estar tomando remédios forte, mas os que estavam faziam mil perguntas do tipo: Você fez exame de sangue, neurológico, então como você sabe que seu problema é químico, menti, para não ter encheção: "Claro que fiz, todos os exames, tudo certinho, vi quais eram os problemas e realmente eram problemas que só o remédio resolvia. Mentira feia, feia mesmo, porque acredito que não tenha outra forma de um psiquiatra diagnosticar senão através de examos clínicos. E quer saber o primeiro profissional com o qual me tratei cerca de um ano, era ótimo, conversava muito, jogava questões que hoje percebo que eram espécies de pegadinhas para ele saber realmente qual era o meu estado. Agora os outros dois, foi dose, mal olhavam pra minha cara se bem que o segundo tentou trocar algumas vezes o remédio de dormir.

E agora estou no quarto psiquiatra que está me avaliando para parar. Ele me parece muito com o primeiro, olha, conversa, deixa eu falar, me olha, fala, filosofa, ele é muito bom, pelo menos é o que preciso agora.

Agora voltando a abstinência, hoje eu não sei se estou sendo muito clara, mas é que acabei de sofrer o que acredito ser outro distúrbio, minha mão está doendo, resultado de um soco no guarda-roupa (está até roxo). Minha cabeça dói, chorei muito e estou rouca, gritei bastante. Estou triste e envergonhada, mas espero que passo acredito que passe, senão tinha corrido para os meus queridinhos antidepressivos que ainda não joguei fora (vai que eles podem ser úteis).

Ah observação: Parei de digirir, porque quase bati o carro na quinta, estou com algo estranho na minha visão, parece que sofro com excesso de informação, é difícil de explicar, meu estômago dói muito e não é raro quando tenho que ir correndo pro banheiro.

Mas tenho certeza que isso vai passar, antes tinha um prazer enorme em ter meus remedinhos no ingerido religiosamente e de uma hora pra outra quis parar, não deve ser a toa, ?

10 comentários:

Adriano Rizk disse...

Parar com as drogas (mesmo com as lícitas) é uma decisão de muita coragem!!! Força de vontade e determinação são ingredientes fundamentais nessa trajetória. Como conheço a mulher de fibra que minha fofa(porém magra) amiga Ana (amiga + ana = amigana = amigona), sei que ela vai fundo e quando menos esperar, estará rindo dessa abstinência.

Forças e BaiAna!!!

Marcel disse...

Eu li e vou continuar a ler, algumas destas coisas eu não sabia, mas vejo que se tornou mto forte e acredito em vc. Amo vc Anjinha!

-Marcel Zimerer

Izabel disse...

Menina linda, ia dizer palhaçada para voce, mas olha eu fiquei é de boca aberta de emoção. Mas com tua persistencia voce está conseguindo. Mas faça da seguinte forma, pense só no hoje, no agora, pois se pensares no amanha será que vou conseguir, te parecerá muito tempo, e é muito tempo. Pois tudo acontece em minutos. Então linda. Agora eu não tomei a droga, A filha do meio, foi diminuindo aos poucos, com orientação do Pasiquiatra. Verás que esse blog será uma ajuda legal, pois assim vai colocando para fora tuas angustias etc... Beijos te amo e força nessa peruca.Peça sempre a Deus força e coragem para continuar com sua decisão.

Graziella disse...

nOS NAO PODEMOS PARAR ASSIM DE UMA HORA PARA OUTRA MINHA FLOR §§ MESMO QUE SEJA POR PRINCIPIOS!! Converce com o seu médico e pade de pouquinho a pouquinho. Eu decidi de para pois aqui onde estou, os remedios sao caros e os medicos mais ainda huahauhauhauahuahuah Continue loca de pedra mas uma loca feliz e limpa desse venenos . Mas uma diferença nos separa, e parei pouco a pouco :)

Te amo muito e forçaaaaa na perucaaaaaaaaa

Rozanna disse...

Qndo fiquei sabendo q vc tava parando com os remédios, achei estranho primeiro, mas fiquei feliz, pq ninguém merece só conseguir viver feliz com uma pílula. Mas agora q li td percebi q teu problema com eles é MUITO mais embaixo, e fico ainda mais feliz por vc ter tomado essa decisão! Tenho certeza q vc vai conseguir pq vc é forte e pode td q quiser!!!!!
muita força pra vc!!!
Rozanna

Noemi Szcypula disse...

Mil gritos de angustias eu ouvi.
Amigos vieram e se foraam
Namorados vieram e se foram
Amigos verdadeiros ficaram
Amigos novos vieram e ficaram
Namorado-anjo chegou e ficou
Eu, mamis estou aqui para ouvir mais uma vez seu grito de angustia,estou aqui para te acalentar em meus braços e te amar pra sempre. "È o que posso te oferecer". beijos

Andréia Szcypula disse...

Dá seus remédios pra mim? Brincadeiraaaaa!Acho que uma das boas soluções pras crises é o esforço físico, coloca uma música e dança, vai correr, pular corda, pular no pula pula... além da serotonina, não vai deixar vc engordar por comer de ansiedade, se quiser minha companhia pra caminhar à noite eu topo. Beijinhosssss

Daniel disse...

Ha!
Linda,
flor, sua vitória é minha alegria. Junto com todas as turbulencias que vamos passar, sim, por que estarei sempre do seu lado,parece que vai produzir uma bela obra literaria, adorei a escrita, rs...
Linda!!!
Te amo, muito!

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leo Alves disse...

Vai firme Ana que você vence.

Tente mudar sua rotina, descubra novos interesses, assuma o controle de sua vida.

Estou torcendo por ti.

Leo