sábado, 5 de setembro de 2009

Semana suada

Ai ai ai, que maneira doída começar um texto com ai, pois é, mas isso tem um motivo... A minha semana foi dolorida. (Ai quanta dramaticidade).

Fiquei bastante tempo sem escrever, porque estava usando meu tempo para ter crises de pânico. Olha não sei o que aconteceu nessa semana, mas foi uma semana de superação. Estou tendo um pouquinho de dificuldades para começar a escrever, talvez pareça meio confuso, porque minha mente gira (ainda bem).

Como escrevi na postagem anterior, tive uma crise dentro do fusquinha, foi terrível, depois de tanto tempo, ter uma crise daquele jeito, aquilo me serviu para posteriormente eu ter medo de ter medo. Pois é e ainda por cima estava com a agenda cheia, então na sexta a noite, depois da crise, já estava pensando no meu trabalho na segunda-feira. Já sofria, chorava, e estava com pavor, sem falar que estava com a minha boca cheia de aftas por causa do antibiótico, então mas estava comendo, logo estava cheia de tonturas, olha como a minha cabeça estava trabalhando...
Só que surpresa, não passei mal na segunda-feira, ufa! Não passei mal na terça-feira, (acabei gravando em Santana de Parnaíba, se eu soubesse disso antes, com certeza tinha tido um colapso na segunda a noite), Ufa! Fui fazer um teste na quarta, com minha mãe junto. Não passe mal.

Se eu não passei mal todos esses dias como eu estava prevendo com certeza seria no dia que pintassem meu cabelo ( fiz um evento de cor e corte), tenho pavor de cheiros, já tenho alergia e me sufoco só de chegar perto. Na quinta, fui experimentar o figurino do evento, descobri que sexta tinha que pintar meu lindo cabelo virgem e castanho. Fui no salão na sexta, trabalhando a a clama da minha mente. Cheguei meio-dia, só foram mexer no meu cabelo a noite. Enquanto isso, fazia contagem regressiva da esperado momento. Quando começaram a pintar, tive um nano segundo de medo, passou, mas depois de um tempo não resisti, caiu minha pressão e minha mente já se preparou para o pior, tive que tomar antialérgico e respirar fundo e tentar não morrer de vergonha. Faltava só mais um produto nas minhas madeixas, quando me falaram passa o tonalizante depois. "Não!" Eu disse em tom de bravura. "Eu consigo agora, bem melhor", Mal sabiam que era por medo de ter que passar por isso de novo, já tinha começado, então vamos logo com isso...

Sábado tive uma gravação, cheguei as noves horas, só fui gravar as 6h da tarde, detalhe, ter ficado algumas horas no salão de cabelo molhado, me fez ter uma recaída. Passei o sábado com febre e com medo de passar mal, de ter falta de ar. De estar coma nova gripe. De desmaiar, Até que o produtor de elenco disse: "De novo, ela vive doente, na outra gravação ela também estava". Não foi bem assim, na outra gravação ficamos sem comer o dia inteiro, logo fiquei com dor de cabeça.
Depois dessa colocação fui pro banheiro chorar, já estava mal mesmo, sentei no chão e chorei. Cheguei em casa umas nove horas.

Domingo, tcharam dia muito esperado, estava pronta para ter uma crise agora, me controlei todos esses dias não conseguiria resistir. Não comi nada para não correr risco de ter alergia. Fiquei com fome e feliz, porque fiquei sentadinha no stand, me controlando a todo momento, mas pelo menos estava sentada, as outras meninas estavam todas de pé no palco. Voltei para minha casita com duas das meninas muito queridas e divertidas, elas moram em Suzano e por isso dormiram casa, moro pertinho de onde foi o evento.

Segunda, segundo dia do evento. É hoje! Pensei. Já no salão antes de irmos pro evento, já estava com medo, já tinha chorado, já estava segurando a respiração, até que pra variar na fase mais crítica, apareceu um anjo. Quem me maquiou não foi o maquiador, mas quem tinha pintado meu cabelo por isso senti liberdade de conversar com ela. Ela disse que podia contar com ela. Olha fui nervosa mais funcionou. Deus sempre me manda um anjo. Estava com pavor de desmaiar no palco, de sufocar, e de passar vexame. Quem acabou passando mal, foram as duas meninas que dormiram em casa, primeiro uma e depois a outra, estávamos o dia inteiro sem comer.
Resultado, fiquei com elas até melhorarem, voltei pra casa, feliz e contente de cabelo ruivo e curto. Cansadíssima de segurar tanto a onda. Capotei de sono, só que tive a segunda recaída com direito a bronquite. Agora estou melhor e de molho!

O pânico é fruto da imaginação

4 comentários:

Noemi Szcypula disse...

Que tristeza é essa? trepadeira, que pássaro morreu entre teus ramos?
Neste exato momento choras em teu quarto e eu completamente perdida, sem saber o que fazer para te ajudar. Filha se eu pudesse faria um acordo com Deus, mas não posso ser ~prepotente a esse ponto!
Só posso te dizer que meu amor por voce é maior que minha própria existencia.

Izabel disse...

Ana, viva um dia de cada vez, um período de cada vez, como disse no final de tua postagem, o pânico é sim fruto da imaginação (só que por trás sem voce ver estão muitos incentivando isso)Mas a certeza é que voce tem o domínio de seu espírito, de seus atos, Tu tens o livre arbítrio, escolha ser feliz, ser livre, não fique pensando no depois, viva o hoje, viva o agora. Sei que não é fácil, mas tente sempre. Claro! se voce quiser minha amada.

Leandro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel disse...

Que texto lindo, não sei se foi pensado, mas, está bem estruturado. Emocionante e inspirador.
Te amo.