quinta-feira, 16 de julho de 2009

Só sensações

O que será que acontece?
Meu médico disse que racionalizo muito. Que não deixo flui minhas sensações e meus sentimentos, mas que eu posso mascarar determinado sentimento, mas não deixar de sentir. E nossa como eu mascaro. Outro dia estava pensando no sofrimento do meu filho que eu nem sei se vou ter, quando eu tirasse a chupeta dele, eu nem sei se ele aceitaria a chupeta. Como poderia dar algo a uma criança que depois de alguns anos ia traumatizá-lo tentando tirar. (Esse trecho loucura, foi só para exemplificar como racionalizo tudo, até o que não existe).

Hoje eu bem angustiada mas só agora deixei fluir, até então estava tentando achar explicações pra isso.

Fui em várias escolas, agora que estou tentando dar aula, me vi numa escola, na primeira escola que tive contato com teatro e lembrei que desafiei um professor que não queria me chamar pra fazer a peça da escola, dizia que eu era muito nova, tinha onze anos. Depois de eu ter pedido várias vezes, ele chamou uma colega da minha classe pra participar da peça e depois chamou mais uma. Só depois de alguns meses ele disse que eu podia participar do grupo da classe. daí eu não quis mais. Hoje fui nesse colégio deixar meu currículo, parei pra pensar no que eu era como profissional até agora e por um momento me senti um lixo. Resumindo, senti várias coisas durante o meu dia e parece que tudo que me acontece é porque estou largando os remédios, será que uma pessoa comum não sente essas coisas?

Se bem que fora essas coisas hoje o dia está bem difícil, bem doído, muita vontade de chorar e poucas lágrimas, muita dor no coração e sem noção de como faz parar. Hoje por um momento eu quis muito voltar a tomar remédio, Hoje tá muito difícil. Sem motivo, minha família é linda, o Dani é lindo, tenho fé em Deus, tenho amigos maravilhos que eu amo, mas hoje tá dureza,
Hoje eu refletindo sobre essas sensações, se é melhor tomar remédio ou não.

3 comentários:

Noemi Szcypula disse...

Oxi, menina, sai dessa, se não vou te pegar tirar suas calças e te dar uns bons tabefes na bunda, OK?

Izabel disse...

Quer que eu ajude? já aproveito e planto a arvore de marmelo, deixo o crescer e já vou com a varinha de marmelo. ANAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA BANANAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA TEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE AMAMOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS E dEUS TAMBÉM.

Déa Iaiá - Budegueira disse...

querida ana... em todos nós passam angustias diárias, tristezas que não sabemos de onde vem, questionamentos profundos, e questionamentos idiotas, isso não tem haver com seus medicamentos. Acontece que vc acaba vinculando estas dificuldades a algo que ja esta sendo dificil por si só, que é o distanciamento dos remédios. Quando estiver em uma situação diferente, trate ela como apenas uma situação... entenda ela separadamente. Não vincule tudo aos remédios.
Te amo minha doce ana. Força. Não se renda. Vc é forte e muito poderosa. Sua conciência é o seu poder.